Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Troika Recomenda Alteração no Código de Trabalho para Legalizar Aplicação de Cortes Salariais Também no Sector Privado

Corte (Confisco) na totalidade do Subsídios de Férias e de Natal de Funcionários Públicos e Pensionistas, abre precedente para igual Corte aplicado também no Sector Privado

Portugal passou no Exame da Troika mas segundo recomendação da mesma, o Estado Português deverá aplicar também Cortes Salariais no Sector Privado e não apenas a Funcionários Públicos e Pensionistas

Tal como THE BESTS referiu em publicação anterior, o Corte (Confisco) a 100% do Subsídio de Férias e de Natal de Funcionários Públicos e de Pensionistas, irá abrir um precendente para que, em pouco tempo, venha também a atingir o Sector Privado. A prova disso é de acordo com a notícia publicada hoje em economico.sapo.pt, a recomendação da Troika (FMI, Banco Central Europeu e Comissão Europeia), no sentido de os empresários portugueses aplicarem cortes salariais no Sector Privado em 2012.

Por outro lado, de acordo com notícia publicada ontem em jornaldenegocios.pt, a Troika recomenda uma revisão do Código de Trabalho, de modo a legalizar os cortes salariais no Sector Privado.

Conclusão THE BESTS: Como já referimos anteriormente, mais prudente e justo seria aplicação de uma taxa contributiva aos Sectores Público e Privado, assim como aos Pensionistas, de modo a exigir um pequeno contributo a todos e não um grande contributo e esforço apenas à Função Pública e aos Pensionistas, até porque, deste modo, se abre um precedente para que posteriormente tal medida extrema e castradora seja também extensível ao Sector Privado. 

Publicações THE BESTS relacionadas:
a) Consequências dos Cortes de Subsídios de Fériaas e de Natal de Funcionários Públicos e Pensionistas

b) Pedro Passos Coelho e Miguel Relvas Insistem em Mater Corte (Confisco) nos Subsídios de Férias e de Natal da Função Pública e dos Pensionistas
Rasmus Rüffer do BCE, Jürgen Kröger da Comissão Europeia e Poul Thomsen do FMI.
Fonte: economico.sapo.pt
Enviar um comentário