Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 4 de abril de 2018

CRISTIANO RONALDO - Simply THE BEST

03-04-2018 - 1/4 Final Liga dos Campeões - Juventus 0 - 3 Real de Madrid
CRISTIANO RONALDO - SIMPLY THE BEST
Tina Turner: Simply THE BEST
Ref.ª: https://www.record.pt/multimedia/fotogalerias/detalhe/quanto-subiu-cristiano-ronaldo-para-marcar-golo-de-bicicleta-uma-barbaridade.html#/0

Desmistificar: Receita Fiscal vs Carga Fiscal em 2017 - Confusão por Ignorância ou por Má Fé?...

04-04-2018 - Receita Fiscal vs Carga Fiscal em 2017
O conceito de Carga Fiscal está associado ao de RECEITA FISCAL e está lançada a confusão! "Tecnicamente a carga fiscal é o rácio simples entre o total de impostos e contribuições obrigatórias (por exemplo para a segurança social) e o produto interno bruto gerado numa economia num mesmo período (habitualmente um ano)".
Ref.ª: https://economiafinancas.com/2014/conceito-de-carga-fiscal-nao-se-deixe-enganar-por-uma-conclusao-mal-formada/

A subida da Carga Fiscal pressupõe em princípio o aumento da taxa em impostos (IRS, IRC, IVA, etc) mas não necessáriamente, já que a melhoria da atividade económica interna, mas também externa, é que tem sido o motor do AUMENTO DA RECEITA FISCAL!

O alegado aumento da taxa em impostos em 2017 é uma ilusão criada para denegrir e descredibilizar, mas Felizmente que no ano de 2017 houve sim um forte aumento da Receita Fiscal impulsionado pela melhoria da atividade económica em Portugal e também no exterior!

Segundo noticia divulgada em dn.pt de 25 de janeiro de 2018, no ano de 2017 o Estado Português arrecadou mais de 42 mil milhões de euros em impostos, ou seja, a Receita Fiscal foi superior a 42 mil milhões de euros, mais concretamente, 42 180,4 milhões de  euros, o que representa mais 1 937 milhões do que em 2016, correspondendo a um acréscimo de 4,8%.

Na sequência deste forte aumento da receita fiscal em 2017, ou por ignorância ou por má fé, muita confusão e muito alarmismo têm sido criados e lançados nos últimos dias sobre a opinião pública. Se não for por ignorância, só pode ser mesmo com o intuito de denegrir e de descredibilizar a política económica e fiscal do atual executivo que tão bons resultados tem permitido alcançar! 

Em prol da verdade e de um conhecimento técnico de rigor, perante tamanha campanha de intoxicação, vergonhosa e difamatória que intencionalmente ou não está a ser criada e lançada sobre a opinião pública, tomámos a liberdade de contactar diversos especialistas que connosco colaboram, no sentido de desmistificar tamanha confusão e de esclarecer devidamente os cidadãos!

Vejamos pois a diferença entre o que é o aumento da atual receita fiscal e o que é o aumento da carga fiscal:
 1 - A receita fiscal consiste na entrada de dinheiro nos cofres do Estado, proveniente da cobrança de impostos diretos que são os que incidem sobre os rendimentos (ex. IRS, IRC) e de impostos indiretos, que são todos os restantes impostos (ex. IVA, IUC, ISV, IMI, Impostos sobre combustíveis, tabaco, bebidas alcoólicas, etc);
2 - Obviamente que se no ano de 2017 a atividade económica melhorou, verificou-se um aumento do volume de vendas e dos rendimentos das empresas, bem como um aumento do volume das exportações,  foram criadas novas empresas que geraram a criação de novos postos de trabalho, o número de trabalhadores no ativo aumentou, o número de desempregados diminuiu e o rendimento das famílias aumentou;
3 - A conjugação dos pontos 1 e 2, permitiu que o Estado Português aumentasse fortemente a cobrança de impostos diretos e indiretos, sem no entanto ter que aumentar a carga fical que incide sobre os portugueses (aumento das taxas de IVA, IRS, etc). Quanto muito poderá ter havido um pequeno aumento na taxa de IMI sobre o património imobiliário de maior valor, mas que no entanto não tem praticamente qualquer expressão na receita fiscal global;
4 - Ao contrário do que muitos nos querem fazer crer, o forte aumento da receita fiscal não foi conseguido através do aumento da taxa de impostos diretos e indiretos, mas  sim devido à melhoria da atividade económica!  
Se o poder de compra da população melhora, a atividade económica também melhora, uma vez que o consumo das famílias aumenta, as vendas e rendimentos das empresas também aumentam, são criados novos postos de trabalho e também novas empresas, a competitividade das empresas portuguesas melhora e o volume de exportações aumenta também. 
O número de desempregados diminui, a população ativa aumenta, os rendimentos das famílias melhoram, o poder de compra melhora e todo o ciclo económico positivo tende a manter-se;
5 - CONCLUINDO, O AUMENTO DA RECEITA FISCAL, NÃO ESTÁ NECESSARIAMENTE  ASSOCIADO A UM AUMENTO DE AUSTERIDADE E ESTAMOS PERANTE UM BOM EXEMPLO DISSO!!! 

Alcançando-se a atividade económica em Portugal que é a atual (2017/2018) e que descrevemos no ponto quatro, é normal que a receita de impostos diretos e indiretos aumente substancialmente, sem que tenha de ser necessário aumentar a taxa de impostos diretos e indiretos

Um aumento da carga fiscal pressupõe em princípio um eventual aumento da austeridade, mas aqui não é o caso, uma vez que tal como já foi referido anteriormente, PRESENTEMENTE EM PORTUGAL REGISTA-SE UM SAUDÁVEL AUMENTO DA RECEITA FISCAL comparativamente com anos anteriores, MAS NÃO SE TRATA DE UM AUMENTO NAS TAXAS DE IMPOSTOS COBRADOS NEM DE UM AUMENTO DA AUSTERIDADE!!!

Estado arrecadou mais de 42 000 ME em Impostos em 2017
Valor concretiza um aumento de 4,8% em relação ao ano anterior. O novo imposto adicional ao IMI valeu 129,9 milhões de euros.
O Estado arrecadou 42.180,4 milhões de euros em impostos em 2017, mais 1.937 milhões de euros (4,8%) do que em 2016, divulgou esta quinta-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).
Segundo a Síntese de Execução Orçamental, os impostos diretos (IRS, IRC e outros) totalizaram 18.331,6 milhões de euros, mais 583,9 milhões de euros (3,3%) do que em 2016.
A entidade liderada por Manuela Proença diz que o aumento dos impostos diretos se deve sobretudo ao "desempenho de IRC [mais 9,9% para 5.748,7 milhões de euros] que permitiu fazer face à quase estagnação da receita de IRS [+0,1% para 12.231,5 milhões de euros]".
De acordo com a síntese de execução orçamental divulgada hoje, para a variação dos outros impostos diretos contribuiu o adicional ao IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) com 129,9 milhões de euros, cobrado pela primeira vez em 2017, "que absorveu a menor cobrança registada pela Contribuição Extraordinária sobre o setor energético (-52,1 milhões de euros) e pela Contribuição sobre o setor bancário (-34,6 milhões de euros)".
Em 2016, e segundo dados da DGO, a contribuição sobre a energia rendeu 92,3 milhões de euros e a sobre a banca totalizou 205,1 milhões de euros.
Já no que diz respeito aos impostos indiretos, o Estado arrecadou 23.848,8 milhões de euros, mais 1.353,3 milhões de euros do que em 2016. Esta subida de 6% ficou acima da previsão do Governo de 5,6% e foi principalmente explicada pelo crescimento da receita de IVA (5,9%), que totalizou 15.976,7 milhões de euros (mais 894,2 do que no conjunto de 2016).
A DGO salienta ainda o comportamento favorável de todos os impostos, com exceção do Imposto sobre o Tabaco (IT), cuja receita caiu 70,1 milhões de euros, destacando as subidas da receita dos impostos sobre os Produtos Petrolíferos (ISP), em 3,2% para 3.364,4 milhões de euros, sobre os Veículos (ISV), em 12,7% para 756,8 milhões de euros, e de Selo (IS), em 5,4% para 1.469,2 milhões de euros.
"Relativamente ao ISV, o crescimento da receita (+85,1 milhões de euros) foi justificado pelo forte incremento que se tem vindo a verificar desde o ano transato nas vendas de veículos automóveis", justifica a entidade liderada por Manuela Proença.
Ainda nos impostos indiretos, destaque para o crescimento do Imposto sobre as bebidas alcoólicas e açucaradas, que cresceu 44,2% (mais 85,5 milhões de euros), para 279,2 milhões de euros, o que foi "fortemente explicado pela tributação das bebidas açucaradas", que teve início em 2017.

Princípio da Ética Desportiva, Código da Ética Desportiva e Lei de Bases da Atividade Física e do Desporto (LBAFD) vs Violência no Desporto

Na sequência dos acontecimentos e notícias menos simpáticas que nos últimos tempos têm sido divulgados na comunicação social a propósito de factos ocorridos no fenómeno desportivo nacional, mais concretamente ao nível do Futebol Nacional mas fora das quatro linhas, no dia de ontem, 03/04/2018, dirigentes desportivos deslocaram-se à Assembleia de República, a fim de assitirem e/ou participarem no debate que ali teve lugar no âmbito da conferência, "Violência no Desporto".

Ref.as:

A propósito do Tema em discussão, revemos algumas normas ou legislação que nos últimos anos foram publicada nesta matéria:
"(...)
Artº 3º - Princípio da Ética Desportiva
1 - A atividade desportiva é desenvolvida em observância dos princípios da ética, da defesa do espírito desportivo, da verdade desportiva e da formação integral de todos os participantes.
(...)"

"(...)
1ª Parte
3. Os objetivos do Código de Ética Desportiva 
São objetivos essenciais do presente Código, não só a ideia de se constituir como que uma norma fundamental de eticidade no desporto, mas também, uma matriz de bons costumes, boas práticas e um referencial de valores humanos nos domínios do desporto.
(...)
2ª Parte
Compromisso com a Ética Desportiva
O Compromisso com a ética desportiva é, por natureza, não apenas uma mera enunciação geral de princípios de atuação concreta perante o fenómeno desportivo mas também uma exigência de conduta a cada momento exigível, e que deve nortear a praxis da vida em tudo o que com o desporto se relacione e interaja. Consideram-se destinatários do referido compromisso todas as entidades que de alguma forma se relacionam com o fenómeno desportivo, em particular as elencadas de seguida e para as quais se indicam os mais relevantes compromissos a assumir:
(...)
Os Dirigentes ou Gestores Desportivos 
- Pautar a sua conduta tendo em consideração primordial os interesses e o serviço em prol das comunidades, princípios vertidos no objeto dos seus estatutos - Serviço à Comunidade.

- Cumprir a lei e os Códigos de Ética Desportiva que a entidade organizadora e reguladora da modalidade venha a implementar na sua regulamentação interna - Legalidade

- Ser justos e imparciais com todos os cidadãos, atuando segundo princípios de neutralidade - Imparcialidade

- Não discriminar qualquer cidadão em função da sua raça, sexo, língua, ideologias religiosas ou políticas nem pela condição social ou económica - Igualdade

- Exigir apenas aos seus associados o indispensável à sua atividade associativa - Proporcionalidade

- Actuar de acordo com o princípio da Boa Fé no interesse último da comunidade com vista à promoção da atividade desportiva e a fomentar a participação de todos, a todos os níveis, do associativismo desportivo - Colaboração

- Pugnar pela disseminação de informação relativa à atividade que promovem junto dos seus associados - Informação e Qualidade.

- Agir sempre de forma leal, solidária e colaborante - Lealdade

- Reger-se por princípios de honestidade e de integridade de caráter - Integridade

- Actuar de forma responsável e competente empenhando-se na prossecução dos objetivos da instituição que integram - Responsabilidade."
Ref.ª: Código de Ética Desportivahttp://www.pned.pt/media/24987/codigoetica_web.pdf

sábado, 24 de fevereiro de 2018

O FMI e as Suas Preocupações!!!!!

Passados quase 2 meses deste novo ano de 2018 é com alguma satisfação que olhamos para a 6ª avaliação do FMI sobre divida Portuguesa – “Pela primeira vez desde que o actual Governo tomou posse, o Fundo Monetário Internacional (FMI) passou esta sexta-feira a considerar “baixa” a probabilidade de se assistir a uma perda da confiança dos investidores em Portugal por causa de reversões nas reformas ou de uma nova crise bancária.” fonte publico.pt

Também nesta 6ª avaliação, o FMI “pede cautela com aumentos “permanentes” na Função Pública”, parecendoreferir-se não só ao fim dos cortes nos salários dos trabalhadores do Estado, que estiveram em vigor durante o período da troika, mas especialmente ao descongelamento das carreiras da Função Pública, que levará a um aumento gradual dos salários ao longo dos próximos anos. O Governo também ficou debaixo de fogo por ter assinado um entendimento com os professores para vir a contabilizar os anos do período do congelamento nas progressões dos trabalhadores dessa classe, uma despesa que não era inicialmente prevista. fonte eco.pt  Relatório FMI aqui.

Tendo por base o que consta no “Wikipédiaacerca do principal objetivo do FMI O FMI se descreve como "uma organização de 188 países, trabalhando para promover a cooperação monetária global, a estabilidade financeira segura, facilitar o comércio internacional, promover elevados níveis de emprego e crescimento econômico sustentável e reduzir a pobreza em todo o mundo, podemos compreender, um pouco, a preocupação do FMI em relação à despesa publica, no entanto, Muito nos Surpreende que apenas falem no “fim dos cortes nos salários dos trabalhadores do Estado” e no “descongelamento das carreiras da Função Pública”, criticando, Inclusive, a assinatura, por parte do governo do “acordo de entendimento com os professores”. IMPRESSIONANTE!!!! Será que são os salários da Função Pública os responsáveis pela destabilização financeira em Portugal? Pelo Aumento do Desemprego em Portugal? Ou pelo Aumento da Pobreza em Portugal? Será?????

Então e a CORRUPÇÃO??? O facto de Portugal ser visto como “um país mais corrupto do que a média europeia??? Não interessa para Nada”???

E Então o facto de Portugal ser o 29.º país mais corrupto, no que respeita à Administração Publica, entre 180 países?? Não conta Nada??? Só faltava afirmarem que corrupção na Administração publica está agregada aos professores!!!

Então os Grandes e Vergonhosos Escândalos que assolaram (e assolam) Portugal e que ROUBARAM aos Portugueses Milhares de ;Milhões de euros??? Não Interessam para Nada???
Mas, pelos vistos, toda a Corrupção e todos os casos Vergonhosos que aconteceram em Portugal e que são responsáveis pelo desaparecimento de Milhares de Milhões de Euros, para o FMI não contam Nada!!!! A Única coisa que conta, é a perca de direitos de quem trabalha honestamente! CAMBADA de Hipócritas!

Como diz Paulo Morais, em Portugal dão-se medalhas a criminosos, castigando-se os trabalhadores Competentes e Honestos, com cortes nos vencimentos e congelamentos de carreiras!!!

Os senhores do FMI que Venham viver para Portugal, com o rendimento Mensal da grande maioria dos funcionários públicos (sem progressão na carreira ou actualização salarial) e vejam se conseguem ter uma vida condigna???

E claro está! Para os parasitas políticos desta sociedade, o que o FMI diz é para fazer!!! E como conseguiram dividir o povo, muitos cidadãos (fracos e pobres de espirito), quando o governo castiga a função pública, principalmente os professores, batem “muitas” palmas de contentamento!!

Gostaria de ver se tudo neste país fosse privado (algo que muito políticos já tentaram e continuam a tentar fazer) e cada cidadão tivesse de pagar todo e qualquer serviço, inclusive a educação, se achariam melhor e mais justo do que a existência de um serviço publico?? E assim se (des) governa num país de “bananas”!!!. 
JMP

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

27-12-2017 - "Tempos Modernos"?!...Vício de Videojogos considerado doença mental pela Organização Mundial de Saúde (OMS)

27-12-2017 - "Tempos Modernos"?!...Vício em Videojogos considerado doença mental pela Organização Mundial de Saúde (OMS)
27-12-2017-"Modern Times"?! ... Video game addiction considered mental illness by the World Health Organization (who)

sábado, 23 de dezembro de 2017

A Corrupção em Portugal e a atitude do Ministério Publico!

Com o ano de 2017 a chegar ao fim, é com imenso Pesar que se verifica que, Portugal, é um Pais cada vez mais Afundado em Escândalos de Corrupção que continuam a Destruir todo o Enorme Esforço que a maioria do Povo Português foi obrigado a fazer após o início da, "dita", crise de 2008.
É com imensa Tristeza e Revolta que continuamos a assistir ao desmascarar de casos Indecorosos, de Corrupção (ao mais alto nível das Instituições governamentais) que continuam a Manchar e denegrir a imagem do Pais e a pôr em Causa a sua recuperação, para a qual tantos Portugueses contribuíram, de há 8/9 anos a esta parte, com o seu Esforço e sacrifício Monumental!!! E claro, para já, Sem Consequências ou Castigos à Vista!!!!!
Só nos resta questionar a Procuradoria-Geral da República, através da sua Procuradora, Dr.ª Maria Joana Raposo Marques Vidal, sobre o que está a ser feito acerca de toda esta Pouca Vergonha que assola este Pais?
Temos o Direito, como qualquer Português honesto que se preze, de questionar e EXIGIR que a senhora haja em conformidade com a lei e a Constituição Portuguesa! Aliás, ao contrário do seu antecessor, que pelo noticiado, além de parecer ser pouco ético, profissional e honrado, possivelmente, as suas acções enquanto Procurador-Geral da República, poderão esconder algo bem mais grave, NÃO temos a mínima dúvidas da sua Honorabilidade, Patriotismo, Honradez, Competência e Profissionalismo. Por isso, apenas lhe Exigimos que não tenha qualquer tipo de Receio ou Medos (que acreditamos que não tenha) e que haja de acordo com aquilo que o cargo que ocupa a Obriga! Seja Imparcial e Intransigente com quem continua a Prejudicar, Gravemente, Portugal e o Portugueses Honestos e Patrióticos.
Cúmulo dos cúmulos, até das pessoas (crianças e não só) mais necessitadas, através das ditas IPSS’s, estes Bandidos se Aproveitam!!!!  Seria bom que a Sr.ª Dr.ª iniciasse, também, uma Investigação Séria e Imparcial a todas as IPSS’s, de norte a sul do País. Com toda a certeza (e infelizmente) Muitas “Raríssimas” (porque queremos acreditar que IURD’s não) se iriam descobrir, com o mesmo aproveitamento Vergonhoso e Criminoso e a mesma Prepotência e Falta de Formação/Educação, dos seus dirigentes.
Com toda a certeza, Não existe Crime Mais Vergonhoso e Nojento e que mereça Maior Repúdio e Castigo do que o Aproveitamento e Enriquecimento próprio e elícito, à custa da precariedade dos outros (principalmente crianças, doentes e pessoas socialmente e financeiramente desfavorecidas).

O THEBESTS deseja a todas as pessoas Honestas (incluindo a Sr.ª Dr.ª e a sua equipa) Votos de um Santo Natal e um Próspero Ano de 2018. E a Portugal um ano de 2018 cheio de Justiça e Castigos para quem comete estes (ou outros) Crimes Vergonhosos!
JMP 

Feliz Natal e Próspero Ano de 2018


THEBESTS deseja a todos os seus Leitores e Amigos um SANTO NATAL e um Ano de 2018 cheio de The Bests things.

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

Autorização de jantar de encerramento da Web Summit 2017 no Panteão Nacional gera indignação

Transcrevendo notícia que saiu em jornaleconomico.sapo.pt, bem como em outros orgãos de comunicação social, o jantar realizado no Panteão Nacional com os fundadores da Web Summit para celebrar o encerramento do evento, está a gerar polémica e indignação.
E já agora, que se saiba o Panteão Nacional nunca irá ganhar pernas ou asas para voar e como tal, será sempre um bem imóvel, quanto muito suscetível de arrendamento mas não de aluguer!
"Lei nº 6/2006 de 27-02-2006

ANEXO - Republicação do capítulo IV do título II do livro II do Código Civil
CAPÍTULO IV - Locação
SECÇÃO I - Disposições gerais
----------
Artigo 1023.º - Arrendamento e aluguer

       A locação diz-se arrendamento quando versa sobre coisa imóvel, aluguer quando incide sobre coisa móvel.
Início de Vigência: 27-06-2006"

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Incêndios 2017 - Onde está a CULPA???

Após as tragédias, dramáticas e vergonhosas, que assolaram o Portugal mais profundo, principalmente o meio Rural, há que seguir em frente e tudo fazer para que o levantar das cinzas nos torne mais fortes e solidários!
 Mas, para que esse levantar seja Real e Efetivo, todas as Mortes ocorridas nos incêndios deste fatídico Ano, não podem ter sido em Vão! Não podemos, simplesmente, levantarmo-nos, continuarmos em frente e esquecer quem a vida perdeu, em condições completamente trágicas e, com toda a certeza, muito sofredoras. Só de Formos Vergonhosamente COBARDES (ainda mais do que temos sido, por toda a nossa passividade, perante os Crimes Hediondos que têm sido cometidos nos últimos 30 anos, contra todo o povo Português) é que poderemos PERMITIR que as RESPONSABILIDADES das Mortes, destes nossos concidadãos (mais velhos e mesmo crianças de tenríssima idade), não sejam, realmente, Apuradas!!! Não temos esse Direito!! As memórias dos que, tão tragicamente, partiram assim o impõem!!!
Há que exigir às autoridades judiciais, pagas por todos nós, a criação de uma Investigação profunda e Rigorosa (queremos acreditar que já começou!!), de forma a apurar as Responsabilidades, Politicas, Sociais e, acima de tudo, Criminais, que levaram a esta tragédia!!!!  Olhe-se para o artigo do jornal “El Mundo” – “¿Quién gana dinero cuando arde Portugal?”! Ou este outro da “Revista Visão” – “Cartéis, esquemas e estado dos helicópteros. Os "negócios do fogo”!
Será que, até os outros Países conseguem ver aquilo que, cá dentro, ninguém quer ver?
Se as pessoas à frente das autoridades Judiciais, que deverão ser Completamente Independentes e Imparciais, não conseguirem levar a cabo essa Árdua Tarefa, mas absolutamente necessária, deverão ter a Coragem e a Hombridade de o admitir e saírem de cena, dando lugar a pessoas que, realmente, demonstrem ter essa Coragem, Competência, Imparcialidade e Capacidade!!!
Nada pode Ficar como Dantes”!!! Palavras do Sr. 1º Ministro, com as quais nos identificamos completamente, no entanto, o Sr. 1º Ministro, como chefe do estado e do governo atual, não pode, com esta simples frase, abster-se daquelas que são as suas responsabilidades! Terá, sem margem para duvidas, que assumir as suas responsabilidades, sejam elas quais forem!
No entanto, este é um governo que tomou posse há menos de 2 anos e, sem lhe tiráramos, minimamente, as devidas responsabilidades, haverá outros que, antes deste, lá estiveram e são, no mínimo, igualmente culpados!
O principal partido da oposição, por exemplo! O que tem feito pela floresta nos diferentes governos que participou? Principalmente no último governo constitucional em que, conjuntamente com o cds-pp, detinha maioria absoluta no parlamento! Alguma coisa? Que se saiba, 1 pinheiro bravo demora, no mínimo, 20 anos a transformar-se numa árvore adulta; 1 eucalipto demora +/- 10 anos a tornar-se uma árvore adulta. Quem pelo Pais tem viajado, nestes últimos anos, com toda a certeza reparou que as arvores e matas, em cima de estradas e casas, que resistiram aos incêndios que todos os anos assolam Portugal, e que este ano estiveram na origem da maior tragédia de que há memoria (pelo menos da nossa), eram arvores adultas, com muito mais do que 2 anos (mais do que o tempo que este governo tem de vida) e, acima de tudo, na sua maioria Eucaliptos. Além disso, o estado de falta de limpeza em que as ditas matas se encontravam, não deixam dúvidas a ninguém que é algo que se tem prolongado de há largos anos a esta parte e nunca, apenas, nestes 2 últimos anos!
Não obstante, e porque nos Enoja a facilidade com que, quando alguma desgraça acontece, alguns desses agentezecos políticos conseguem “sacudir a agua do capote”, Questionamos?
Com que descaramento, alguém que é responsável por uma das mais polemicas leis dos últimos anos - “Lei do Eucalipto”, de 19 de Julho de 2013, não assume a sua cota parte de responsabilidade na tragédia que aconteceu?
A ministra da pasta da Agricultura do anterior governo e atual líder do cds-pp, assunção cristas, aprova uma lei de liberalização total do cultivo do eucalipto, numa altura em que Portugal já detinha a maior mancha de Eucaliptos da Europa que, segundo especialistas, além de trazerem um muito maior risco de propagação dos Incêndios Florestais,  agravavam o despovoamento do interior do Pais (Será que a serem tão proveitosos, tão bons e sem nenhum risco, só Portugal é que era inteligente para os cultivar em grande escala????),  e vem agora dizer que a culpa está toda neste governo e que ela deixou de ter qualquer tipo de responsabilidade???
Essa sra., ao promulgar esta lei, das duas, uma, ou não tinha a mínima perceção do que é uma gestão floresta sustentável e / ou risco de incêndio florestal, logo não passou de uma Incompetente sem a mínima capacidade para ter ocupado o cargo que ocupou, ou então, ao aprovar essa polémica lei, contra todas as opiniões de especialistas (individuais e instituições), apenas pensou nos interesses da indústria ligada ao sector da floresta e do fogo, esquecendo, completamente, quem, no cargo que ocupava na altura, representava – o Povo Português! Talvez, daqui a algum tempo, também sobre ela, e outros, surjam gravações telefónicas ou movimentos financeiros suspeitos e suscetíveis de merecerem uma verdadeira e séria Investigação! Quem sabe???
Mas não só o governo anterior tem, no mínimo, igual responsabilidade na tragédia deste fatídico verão. Também sabemos, como todos, que antes do anterior governo, esteve, durante 6 anos, um outro governo da mesma cor politica do atual, no entanto, também é do conhecimento geral de todos que o maior rosto desse governo de 6 anos, e mais alguns dos seus compinchas, estão, neste mesmo instante, a braços com justiça, num processo que, ao THEBESTS não apanhou de surpresa e apenas confirmou aquilo que foram as muitas publicações que fizemos acerca da governação Sócrates. Relembramos algumas:
NO entanto, com tantos crimes que, segundo a acusação, cometeram, e por todas as artimanhas e malabarismos criados, será natural entender que alguma coisa teria que ficar esquecida e, pelos vistos, também foi a floresta! Também eles terão a sua cota parte de responsabilidade em toda a tragédia ocorrida nos incêndios deste verão.
Todos os escândalos políticos dos últimos 20 anos, conjuntamente com esta ultima tragédia que tantas vidas ceifou, deve envergonhar todos os portugueses (honestos), mas também deverá obrigá-los a pensar na classe politica que têm e na que, realmente, querem para o futuro. E como, pelos vistos, segundo noticia publicada hoje nos diferentes meios de comunicação social, a desonestidade parece ser geracional e não só partidária, ““Operação Marquês toca Governo de Passos.”, possivelmente e uma vez que, a Desonestidade, a Incompetência e a Canalhice, parece ter tomado posse da maior parte dos partidos políticos, principalmente os chamados partidos do arco de (des)governação, estar-nos-emos a aproximar do fim de um ciclo. Se for para melhor, que assim seja

JMP