Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Taxa de Desemprego no último trimestre de 2012 atinge os 16,9%

Implosão da Economia Nacional em Marcha - Atualização em 13 de Fevereiro de 2013

Foi agora revelado o valor da Taxa de Desemprego em Portugal no último trimestre de 2012, situando-se nos 16,9%, o que constitui o valor mais elevado de sempre e vem na linha da previsões do THE BESTS para a Economia Nacional, feitas há mais de um ano!
A Taxa de desemprego agora anunciada seria ainda muito maior se não se registasse nos últimos meses de 2012 um forte aumento da emigração.
 
É de salientar que no terceiro trimestre de 2012 o Taxa de desemprego se situou nos 15,8%, tendo-se registado um aumento de 1,1% de desemprego apenas em três meses. Quantos às previsões da Taxa de desemprego para 2013 anunciados pelo Governo, estas deverão situar-se nos 16,4%, valor este que está completamente desfazado da realidade!
 
Entre as diversas variáveis que contribuem para tal situação, sublinhamos o corte/confisco salarial radical e inconstitucional que foi imposto pelo Governo no ano de 2012 a funcionários públicos e pensionistas, uma vez que tal corte/confisco representou uma perda de poder de compra de cerca de 2 mil milhões de euros, o que obrigatóriamente tem um impacto muito significativo e negativo numa economia frágil e específica como a nossa! A perda de poder de compra destas pessoas representa uma proporcional redução da procura interna, o que reduz drásticamente a atividade económica nacional. Ou seja, estamos na presença de um corte ilegal e contraproducente, uma vez que o custo obtido foi superior ao benefício!
 
Atendendo às especifícidades da Economia Portuguesa, relembramos que apenas cerca 5% das empresas portuguesas são exportadoras e todas as restantes empresas que representam 95% do tecido empresarial nacional, são pequenas e micro empresas não exportadoras e que dependem exclusivamente da procura interna! Neste contexto, reduzindo-se drásticamente o consumo interno, as empresas não exportadoras deixam de vender, sendo muitas obrigadas e abrir falência ou a reduzir pessoal.
 
Em conclusão, como infelizmente a atividade económica  nacional irá continuar a cair por força da continuidade das inexequíveis medidas de austeridade impostas pelo Governo, a Economia Portuguesa irá continuar a cair e como consequência, o desemprego irá aumentar. Resolver o problema com uma aposta forte nas exportações é uma ilusão a curto prazo, uma vez que atendendo à cultura e à especificidade da economia e realidade nacional, onde apenas 5% das empresas são exportadoras, a resolução por esta via requer uma mudança de paradigma que irá demorar muitos anos a implementar!

Publicação THE BESTS relacionada: Fome em Portugal, é vergonha nacional - Reportagem RTP
 
            economico.sapo.pt
Enviar um comentário