Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

domingo, 12 de junho de 2011

Noronha do Nascimento Acusado de Proteger José Sócrates.

Noronha do Nascimento Presidente do Supremo Tribunal de Justiça é acusado de proteger José Sócrates nas escutas telefónicas do Processo Face Oculta, ao ter dado ordem para a destruição dessas mesamas escutas telefónicas

Em noticia publicada na comunicação social, Noronha do Nascimento, Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, é acusado de proteger José Sócrates, no processo Face Oculta.

Mas afinal, quem é Noronha do Nascimento?

Será Verdade?

Será que um cidadão, Juiz de Profissão, a ocupar o mais alto cargo do Poder Judiciário, teria a CORAGEM de ir CONTRA tudo aquilo que a sua FUNÇÂO lhe EXIGE?

Sendo o Supremo Tribunal de Justiça, na actual organização judiciária, o órgão superior da hierarquia dos tribunais judiciais, sem prejuízo da competência própria do Tribunal Constitucional, e tendo, como uma das suas funções, através DO PLENO DAS SECÇÕES ESPECIALIZADAS:

  • JULGAR O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, O PRESIDENTE DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA E O PRIMEIRO-MINISTRO PELOS CRIMES PRATICADOS NO EXERCÍCIO DAS SUAS FUNÇÕES;

    Não entendemos o porquê de tanta incongruência e de tantas reacções absurdas, por parte do presidente do Supremo Tribunal de Justiça, relacionadas com os diferentes casos onde, o ainda 1º Ministro demissionário, se viu envolvido.  

    • Por ventura, para o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, o ainda 1º Ministro demissionário, não é um cidadão português que, como todo e qualquer outro cidadão português, deverá cumprir as regras e leis constantes na constituição Portuguesa?

    • Por ventura, para o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, o ainda 1º Ministro demissionário, ocupando o 3º cargo mais importante da nação, ao longo destes últimos 6 anos, não deveria ser um referencial de COMPETÊNCIA E PARTIOTISMO?

    • Por ventura, para o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, o ainda 1º Ministro demissionário, ocupando o 3º cargo mais importante da nação, não deveria ser um exemplo de  HONESTIDADE e TRANSPARÊNCIA para todo um POVO?

    Pensamos que, embora para o presidente do Supremo Tribunal de Justiça possa não parecer, para a MAIORIA do POVO PORTUGUES Parece-nos que sim.

    Todo e qualquer individuo deveria sentir-se ORGULHOSO por exercer  determinados cargos públicos, obrigando-se a HONRA-LOS e a respeitar todo um POVO que lhe deu a oportunidade de exercer esse mesmo cargo.

    Parece-nos também que, todo e qualquer individuo que, ocupando um qualquer cargo publico de relevo, não consiga Honra-lo com COMPETÊNCIA, HONESTIDADE E PATRIOTISMO, deverá ser julgado segundo as leis da republica.

    Portanto, caso se tenha verificado algum acto ilícito, cometido pelo ainda, 1º Ministro demissionário, e uma vez que é uma das Funções do Supremo Tribunal de Justiça (JULGAR O PRIMEIRO-MINISTRO PELOS CRIMES PRATICADOS NO EXERCÍCIO DAS SUAS FUNÇÕES), não entendemos o porquê das hesitações e das confusões  do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça, em relação aos diferentes casos e principalmente ao Processo Face Oculta.

    A não ser que, o presidente do Supremo Tribunal de Justiça, não tenha interesse em que esses senhores sejam INVESTIGADOS e JULGADOS e ai, passará a ser, a pessoa do presidente do Supremo Tribunal de Justiça, que deixará de Honrar o cargo que ocupa, passando, ele próprio, a cometer um acto ilícito.

    A ser assim, não restará a este senhor (Noronha do Nascimento), outra solução que não seja a sua DEMISSÂO IMEDIATA do cargo que ocupa (presidente do Supremo Tribunal de Justiça).

    Após isso, deverá ser aberta uma investigação profunda contra este senhor, de modo a clarificar quais as suas ligações ao 1º Ministro demissionário e o porque de não ter cumprido com as suas funções.

    Caso se verifique que realmente faltou ao seu DEVER, deverá ser exonerado de todos os cargos que possa ocupar e da sua própria condição de JUIZ.

    Como implícito na Declaração Universal Dos Direitos Do Homem, Todos são iguais perante a lei, para o bem e para o mal.

    Só assim se poderá aspirar a uma SOCIEDADE MAIS JUSTA e a um FUTURO MAIS  PROMISSOR e RISONHO, na justiça Portuguesa.

    José António Vilaverde
    Enviar um comentário