Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

sábado, 21 de maio de 2011

Pedro Passos Coelho Vence Debate na RTP 1 Contra José Sócrates

Debate José Sócrates vs Pedro Passos Coelho - Vitória clara de Pedro Passos Coelho no debate desta noite contra José Sócrates.
Pedro Passo Coelho Vence Debate Político, na RTP 1, Contra José Sócrates e, após a noite de hoje, deverá vencer as próximas eleições do dia 5 de Junho, uma vez que apresentou um discurso mais seguro, coerente e consistente, em comparação com um José Sócrates inseguro e com um discurso já muito repetido e gasto.
Um José Sócrates, que foi mais do mesmo, foi esta noite surpreendido por um Pedro Passos Coelho que teve, talvez, a sua melhor prestação de sempre, em debates políticos televisivos.
Um debate decisivo, foi vencido por Pedro Passos Coelho e também terá sido decisivo para a Vitória do PSD e de Pedro Passos Coelho nas próximas eleições Legislativas de 5 de Junho.
Neste debate assistimos a um José Sócrates mais preparado para discutir o programa do PSD do que propriamente a crise e os problemas do País.
A nosso ver, um José Sócrates com o seu discurso já gasto, chegou ao fim da linha. Pelo contrário, Pedro Passos Coelho revelou-se mais seguro e mais à vontade, passando a ideia de que ele próprio com o apoio do País, é a solução para a crise de Portugal.
Relatamos o essencial que retivemos do debate desta noite, na RTP 1, entre José Sócrates e Pedro Passos Coelho:
  • Sócrates acusa PSD de atacar o estado social.
  • Passos acusa Sócrates de ser responsável pela actual crise em Portugal, pois está no Governo há 6 anos.
  • Sócrates desculpa-se dizendo que a culpa da crise em Portugal é da crise internacional.
  • Sócrates lê excerto de um relatório de contas assinado por Passos Coelho, relativo a uma empresa em que Passos Coelho foi administrador. Sócrates acusa Passos de ter admitido que a crise portuguesa se deve à crise internacional. 
  • Passos Coelho refere que Sócrates o acusa de não ter experiência governativa e argumenta que tal se deve talvez ao facto de ter 46 anos. Lembra que David Cameron, 1º Ministro Inglês também foi eleito sem grande currículo governativo, tal como Tony Blair na sua época.
  • Passos começa por atacar que Sócrates diz que não baixava salários e depois baixou.
  • Sócrates argumenta que PS teve que mudar de orientação.
  • Sócrates acusa Passos Coelho de acabar com o serviço nacional de saúde.
  • Passos responde que há 500 mil portugueses sem médico de família por culpa do Governo de Sócrates. PS gosta de acusar PSD de querer acabar com o serviço nacional de saúde mas é falso.
    THE BESTS: Entretanto durante os minutos que se seguem falam só sobre o serviço nacional de saúde.
    • Sócrates diz que Passos Coelho defende os “co-pagamentos”.
      THE BESTS: Com 23 minutos de debate cumpridos, Sócrates continua agarrado ao tema do serviço nacional de saúde. Pouco de significativo se disse até aqui.
      • Passos Coelho diz: “O Senhor insiste em discutir as minhas ideias e eu gostava de o ver a discutir o resultado da sua acção governativa durante os últimos 6 anos porque não tem a coragem de o discutir”.
      • Passos Coelho refere que Portugal está hoje a viver uma das crises mais complicadas de sempre, crise mais grave ainda do que nos restantes países da Europa.
      • Passos Coelho acusa José Sócrates de apenas estar interessado em discutir o programa político do PSD em vez de querer discutir os problemas que o País vive.
      • Passos Coelho pergunta, a Sócrates, o que tem a dizer sobre o desemprego elevado em Portugal.
        THE BESTS - Com 25 minutos de debate cumpridos a situação é a seguinte:
        • José Sócrates continua a afirmar que a culpa, da actual crise em Portugal, se deve a à crise internacional.
        • José Sócrates afirma que, Pedro Passos Coelho é que criou uma crise Política quando chumbou o PEC IV porque, a partir desse momento, os juros a suportar, no empréstimo para pagar a dívida pública, não pararam de subir.
          THE BESTS: A este propósito, lembramos que, antes da reprovação do PEC IV, os juros já andavam perto de uma taxa de 10%. Valor incomportável para a economia portuguesa. Para além do mais, Sócrates, que tinha um governo minoritário, resolveu negociar um PEC IV com a União Europeia, sem dar satisfações à oposição. Portou-se como um menino mal comportado que faz coisas às escondidas e levou um puxão de orelhas.
          • Pedro Passos Coelho argumenta que Portugal tem 690 mil desempregados e que pode subir.
          • Sócrates promete mais estágios e qualificações para combater o desemprego.
          • Passos Coelho pergunta a Sócrates se, tal como já fez em tempos, não quer prometer de novo a criação rápida de 150 000 novos postos de trabalho.
          • Passos Coelho afirma que, José Sócrates, vive no mundo da fantasia.
          • Passos Coelho afirma que, chumbou o PEC IV porque, o PS, não cumpriu objectivos a que se propôs e, tal como não serviu o PEC I, o PEC II e o PEC III, também não seria de esperar muito de um PECIV.
          • Passos Coelho referiu que, o País, chegou a este ponto porque, em Novembro de 2010, José Sócrates disse que Portugal não precisava de ajuda externa e disse que não estava disponível para governar com o FMI. Não queria as medidas propostas pelo FMI, mas no entanto, agora elogia-as.
          • Passos Coelho disse que, há muito tempo que Portugal deveria ter pedido ajuda externa. Se Portugal o tivesse feito há mais tempo, tínhamos poupado muito dinheiro. O atraso no pedido de ajuda externa fez com que muitas empresas tivessem que fechar por falta de financiamento da banca.
          • José Sócrates referiu que o País não necessitava de ajuda externa e que essa ajuda externa é prejudicial. Referiu que o PS tinha uma solução e que o PSD foi o responsável pela vinda da ajuda externa, já que a ajuda externa só chegou ao País por causa da crise política.
            THE BESTS: A este propósito, quando a ajuda externa chegou a Portugal já o juro do empréstimo contraído para o pagamento da divida pública tinha alcançado os 10%.
            • José Sócrates refere que Pedro Passos Coelho quer liberalizar o mercado de trabalho.
            • Pedro Passos Coelho diz que é falso.
            • Pedro Passo Coelho refere que, o programa de governo do PSD, é claro em matéria de mercado de emprego e que o PSD até é acusado de estar a propor algo que vai resultar num contrato de trabalho sem termo.
            • Passos Coelho diz que, Sócrates, assinou e aprovou, com o FMI e a União Europeia (Troika), o memorando para flexibilização do mercado (contrato) de trabalho.
            • Passos Coelho refere que defende a flexibilização do contrato de trabalho e não a sua liberalização.
              THE BESTS: Com 40, 42 minutos de debate cumpridos, essencialmente apenas foram abordados 2 temas, nomeadamente, saúde e mercado de trabalho. Aos 44 minutos o debate direcciona-se para a Taxa Social Única (TSU).
              • Sócrates refere que deve haver uma descida moderada da TSU mas não diz de quanto.
              • Passos Coelho refere que acordo com a Troika prevê uma descida significativa da TSU.
              • Passos Coelho acusa José Sócrates de ter assinado a descida da TSU com a Troika e que agora diz que ainda vai estudar o assunto. Passos diz que Sócrates em vez de dizer que ainda vai estudar o assunto, devia dizer qual a sua posição sobre a descida da TSU antes das eleições.
              • Passos Coelho referiu que, com a ajuda de técnicos, estudou o problema ao pormenor e que, segundo o resultado desse estudo, se fosse possível, o ideal deveria ser fazer já baixar a taxa social única no próximo orçamento. No entanto referiu ainda que não sabe se o PS irá deixar condições para tal.
              • Pedro Passos Coelho refere que o objectivo de atingir 5,1% de deficit, já não vai ser alcançado. Diz que Sócrates não deve continuar a viver uma ilusão.  
              • José Sócrates refere que a execução orçamental está muito boa. Sócrates diz ainda que chega de dizer mal de Portugal e de dizer que estamos à beira da Banca Rota.
              • Passos Coelho acusa Sócrates de ter usado os fundos da CGD e da PT para reduzir o deficit.
                THE BESTS - José Sócrates utiliza argumentos fracos tais como:
                • O senhor utiliza expressões para dizer mal de tudo”.
                • Passos Coelho responde: “Eu acertei com a previsão do deficit e as chamadas de atenção do FMI e da União Europeia deram-me razão”.
                  THE BESTS: Relativamente ao cenário de, no período pós eleições, vir a formar um governo de coligação com outro partido:
                  • Sócrates não se comprometeram a avançar cenários. Passos Coelho referiu que perante a sua vitória se maioria, espera uma proposta para formar um governo de maioria.
                  • Passos Coelho referiu que, o PSD, aposta na transparência.
                  Ao Fim de uma hora de Debate, entre o Candidato demissionário, José Sócrates e o Candidato do maior partido da Oposição, Pedro Passos Coelho, o debate chega ao fim, sem ter havido abordagem a outros temas importantíssimos como:
                  • A Educação;
                  • A Justiça;
                  • As famosas PPP’s;
                  • O Estado Social; 
                  • Entre outros. 
                    No entanto, e como balanço final, ficou claro quem é que, de entre os dois, está A LUTAR LEALMENTE E DE BOA FÉ E A PENSAR NO MELHOR PARA O PAÍS.
                    Este balanço não tem a ver com qualquer interesse partidário mas sim, Com a CLAREZA DOS ARGUMENTOS, DAS EXPLICAÇÕES E DAS IDEIAS apresentadas por Pedro Passos Coelho. Por tudo isso, podemos afirmar que, a haver um vencedor, neste debate, ele foi, sem margem para dúvidas, Pedro Passos Coelho.
                    José António Vilaverde
                    Enviar um comentário