Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Economia portuguesa cresce 1,4% no 1º trimestre de 2015, face a período homólogo de 2014, mas o mérito não é do governo!

A subida do PIB no primeiro trimestre de 2015 não se ficou a dever ao trabalho do governo de Pedro Passos Coelho e nem é mérito seu, devendo-se isso sim a fatores exteriores ao governo, nomeadamente:
- Melhoria da atividade económica internacional; 
- Desvalorização do Euro;
- Descida do preço do petróleo;
- Reposição dos salários que foram cortados pelo atual governo violando a Constituição da República Portuguesa.
Todos estes fatores atuando em conjunto,  fizeram com que as empresas e os privados reduzissem os seus custos em virtude da descida do preço do petróleo; por sua vez as exportações aumentaram em virtude da melhoria nos mercados internacionais e também da desvalorização do euro; as importações desceram também devido à desvalorização do euro e à descida do preço do petróleo, uma vez que o petróleo ocupa o maior volume de importações na nossa balança comercial. Muitas famílias portuguesas aumentaram o seu poder de compra devido à reposição de salários dos funcionários públicos e pensionistas e, deste modo, o Tribunal Constitucional também contribuiu para a melhoria da atividade económica e para o aumento do PIB nacional, já que ao obrigar o governo a repor a legalidade (uma vez que os cortes eram inconstitucionais), conduziu à reposição de salários de funcionários públicos e de pensionistas  e, deste modo, foi possível aumentar o poder de compra das famílias e consequentemente o consumo interno.



LT
Enviar um comentário