Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Caso Freeport - José Sócrates exigiu 2 milhões de euros para aprovar licenciamento do Freeport, terá dito o Arguido Manuel Pedro à Testemunha Augusto Ferreira do Amaral (Antigo Ministro)

Segundo notícia publicada em noticias.sapo.pt, Augusto Ferreira do Amaral, Ministro do VII Constitucional de Pinto Balsemão, na qualidade de testemunha do Caso Freeport, disse em Tribunal que o arguido Manuel Pedro, em Janeiro de 2001, lhe confidenciou que o ex-ministro do Ambiente José Sócrates, exigia 500 mil contos (cerca de 2 milhões de euros) para aprovar o licenciamento do empreendimento Freeport, em Alcochete.

Transcrevemos excerto da notícia publicada em noticias.sapo.pt:
"Ouvido como testemunha de acusação no tribunal do Barreiro, onde decorre o julgamento do caso Freeport, o advogado Augusto Ferreira do Amaral referiu que Manuel Pedro lhe confidenciou, em janeiro de 2001, que José Sócrates exigia 500 mil contos e que estava "chocado" e "escandalizado" com a exigência do então ministro do Ambiente, revelando-lhe que um dos administradores do Freeport ia deslocar-se a Lisboa para tratar pessoalmente do assunto.


A testemunha, que disse conhecer Manuel Pedro desde os tempos em que este era aluno da Faculdade de Direito, disse ao coletivo de juízes estar convicto de que o arguido disse a verdade, porque estava a ser "espontâneo" e a gravidade do assunto não permitia outra atitude.(...)

O tribunal ouviu ainda Maria Fernanda Vara Castor, antiga diretora regional do Ambiente e do Ordenamento do Território (...). Confrontada com as declarações feitas em sede de inquérito, a testemunha admitiu que numa reunião com José Sócrates, foram discutidas diversas formas de ultrapassar os obstáculos do parecer negativo da avaliação do impacto ambiental, de forma a alterar o projeto para que este fosse aprovado e executado.
Nessa reunião, admitiu que, além de Sócrates, esteve presente o secretário de Estado do Ambiente, o arquiteto Capinha Lopes e o arguido Manuel Pedro, consultor da Smith and Pedro.
Manuel Pedro e Charles Smith respondem em julgamento pelo crime de tentativa de extorsão.

Sócrates exigia 2 milhões de euros para aprovar licenciamento (Lusa)
Fonte: noticias.sapo.pt
Enviar um comentário