Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quinta-feira, 21 de abril de 2011

António Barreto em Entrevista ao Canal de Televisão RTP 1 Conduzida por Fátima Campos Ferreira

21 de Abril de 2011
Programa da RTP 1 – Portugal e o Futuro - Entrevista Conduzida por Fátima Campos Ferreira
António Barreto foi esta noite o entrevistado no Canal de TV RTP 1 por Fátima Campos Ferreira.
Resumimos o essencial do que retivemos da entrevista conduzida por Fátima Campos Ferreira a António Barreto na noite de hoje, ao Canal de TV da RTP 1.

António Barreto (AB): Sócrates tem estado muito mal. As más opções políticas conduzriram Portugal à crise em que nos encontramos.
AB: Deveriam ter sido tomadas determinadas medidas há já alguns anos, de modo a evitar o actual contexto de crise social que vivemos. Os acentuados desequilíbrios sociais preocupam-me muito.
AB: Sócrates deveria ter tomado opções políticas há muito tempo, para evitar o actual contexto de crise. Há muito tempo que muitos gente com experiência, pessoas competentes e esclarecidas, já vinham avisando, como por exemplo o Dr. Medina Carreira e outros.
AB: O mal reside em Sócrates e nos actuais políticos.

FCF: O senhor não acredita na política? Coloca em questão a acção dos políticos?
AB: A Política é uma arte muito nobre. O problema actual reside é nos actuais políticos que não têm a competência ou o perfil desejado e que depois estragam o nosso sistema político.
AB: O Parlamento Português funciona como uma espécie de manada. Há 50 que se levantam, depois há 50 que se sentam e 50 que se levantam... já nem se contam os votos por deputado, contam-se por grupo partidário.

AB: Estou solidário com o Movimento "Compromisso Nacional", mas não tenho qualquer obectivo de cargo político.
FCF: O que é que considera que está pior no nosso sistema? É um problema financeiro?
AB: Quanto ao que está mal, enumero 3 situações:
a) Situação Financeira do País é muito grave.
(THE BESTS: A este propósito, diriamos nós que ainda hoje os juros da dívida bateram record desde que existe a moeda Euro e ultrapassaram os 11%);
b) A ausência de equilíbrio social. Este preocupa-me muito. Cada vez o desequilíbrio social é maior.
c) Tem que exsitir mais investimento nacional e estrangeiro. Este investimento é fundamental para o País ultrapassar a crise.

AB: O essencial que se exige à classe política, é que respeitem a dignidade das pessoas. Informem as pessoas sobre os problemas que existem. Todos têm direito a ser devidamente informados e os políticos têm o dever de informar e esclarecer.
AB: As pessoas não têm que se submeter aquela manada robotizada que está no Parlamento.

Filipa Bragança
Enviar um comentário