Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 9 de março de 2011

Discurso de Cavaco Silva na Tomada de Posse para o seu 2º Mandato, assume contornos de uma reprimenda ao Governo e de eventual abertura de uma porta à ajuda externa

Cavaco Silva no Discurso de Tomada de Posse, aborda a situação péssima, mas real, da actual conjuntura económica, financeira e social do País, dando a ideia de que está receptivo à "abertura de uma porta" para a entrada de ajuda externa. A análise e descrição da conjuntura actual do País, acaba por ser directa ou indirectamente, a apresentação de um atestado de incompetência ao Governo e ao mesmo tempo uma reprimenda.
Cavaco Silva referiu que há limites para os sacrifícios que se exigem aos Portugueses, reprova o avanço das grandes obras, como por exemplo o TGV, bem como reprova a inércia dos agentes políticos que não conhecem o País real. As nomeações para cargos públicos deverão ser feitas com base no mérito e competência e não de acordo com a orientação política.
Exalta as virtudes dos sectores da economia em que Portugal é tradicionalmente bom e nos quais deverá apostar mais.
Centra ainda o seu discurso nas virtudes da família e destaca as virtudes de políticas que protejam as famílias. Os jovens são outra das preocupações do Presidente para o segundo Mandato, bem como a importância do Sector da Educação.
De referir ainda que no final do Discurso de Cavaco Silva, apenas vieram aplausos da Bancada Parlamentar do PSD e do CDS.
Filipa Bragança
Enviar um comentário