Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Contribuintes Portugueses injectaram € 4800 milhões no BPN e poderão injectar mais € 500 milhões

Por Filipa Bragança - Comentadora "The Bests"
Como é do Conhecimento geral, o Governo Português decidiu privatizar o BPN e injectar € 4800 milhões de dinheiros Públicos, alegadamente para salvar o Banco. Ao que parece, os € 4800 milhões não foram suficientes e ainda poderão injectar mais 500 milhões! Os Contribuintes “apertam o cinto” e o Governo, utilizando recursos provenientes dos impostos pagos por esses mesmos contribuintes e com muito sacrifício, continua a tapar um “Buraco” que afinal ainda é maior do que inicialmente se previa.
E que notícia é esta que saiu ontem no Jornal de Negócios e que terá por base um Despacho do Ministério das Finanças, segundo o qual, os salários de Dezembro de Professores, Forças de Seguranças e Magistrados irão estar dependentes da concretização dos cortes que os respectivos Ministérios se comprometeram a fazer desde 19 de Novembro, na aquisição de bens e serviços?
Reflexão:
a)      Este último parágrafo é ridículo no mínimo, surrealista até! Devem estar a brincar, ou então querem “esticar ” para ver até  onde chega a paciência das  pessoas…
b)      Voltando ao BPN, o Governo tentou vender o Banco a privados, mas não apareceu qualquer proposta. Porque será?
Resposta possível: Provavelmente a situação do Banco ainda é algo duvidosa, o que afasta possíveis investidores.
c)      Será que era mesmo necessário nacionalizar um banco falido, resultado de todos os “buracos” e de todos os “podres” abertos por banqueiros e por outros, “membros” ou curiosos do mundo da alta finança?
d)       Será que foi legitimo impor aos Contribuintes Portugueses que injectassem com o dinheiro dos seus impostos, os € 4800 milhões? E agora mais 500 milhões?
e)      E onde estava o Supervisor do Banco de Portugal que não se apercebeu do que se estava a passar, quer no BPN, assim como no BPP?
f)       Quem paga a factura com os erros e escândalos dos “iluminados e virtuosos”, têm que ser os Contribuintes? Os verdadeiros culpados não têm rosto?
g)      Será legitimo que peçam aos milhões de Portugueses que vivem com o orçamento familiar preso por um fio, ou que até já entram em ruptura ou no limiar de pobreza, para contribuírem sempre mais e mais, com sacrifício da sua qualidade de vida e das suas vidas pessoais e familiares, em prol de algo em que já não se acredita muito?
Filipa Bragança

Enviar um comentário