Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

José Luís Zapatero Dissolve o Parlamento Espanhol e Marca Eleições Legislativas para o dia 20 de Novembro

Caiu o Parlamento em Espanha
José Luis Zapatero dissolveu o Parlamento Espanhol

O Primeiro Ministro de Espanha; José Luís Zapatero, dissolveu esta segunda feira (26 de Setembro de 2011) o Parlamento Espanhol  e anunciou a marcação de Eleições Legislativas para o dia 20 de Novembro, data em que será eleito um novo Governo para enfrentar os 21 por cento de desemprego e uma economia que luta para fugir a um iminente pedido de ajuda externa.

Será que a Espanha à semelhança de Portugal, Grécia e Irlanda também vai ter que pedir ajuda externa à Troika?
Lembramos que a Espanha tem quatro vezes mais população do que Portrugal e é uma das Potencias da Economia Europeia. Deste modo, um eventual pedido de ajuda externa da Espanha à Troika, será bem mais complicado do que a a ajuda a Portugal ou Grécia, dado que a dimensão é bem maior. Neste momento os problemas de déficite orçamental na Espanha, assim como na Itália (Terceira Potencia da Economia Europeia), colocam até em risco a sobrevivência da Moeda Única (Euro), assim como da própria União Europeia.
Espera-se pois que Espanha e Itália consigam "arrumar a casa" e que não tenham que passar pelas mesmas dificuldades de Portugal, Grécia e Irlanda, já que nesse caso, a dimensão do problema seria muito maior e muito mais grave.

Transcrevemos excerto da notícia publicada em sol.sapo.pt:
"(...) O primeiro-ministro espanhol falou hoje perante os jornalistas após comunicar a decisão de dissolver o parlamento ao rei Juan Carlos. À dissolução juntou-se a marcação de eleições legislativas para 20 de Novembro, às quais Zapatero, tal como já havia afirmado, não vai concorrer.

Os Socialistas (PSOE) terão antes Alfredo Pérez Rubalcaba, antigo ministro do Interior de Zapatero, como candidato a encabeçar a candidatura que terá que lutar para restaurar a confiança da população espanhola no partido que tomou as rédeas do país nos últimos oito anos.

Do outro lado da corrida estará o Partido Popular (PP), liderado por Mariano Rajoy, a mais acérrima das vozes que lançaram críticas ao governo nos derradeiros meses da sua existência.

Quem vencer as eleições terá à sua espera um país que luta por não cair no buraco financeiro que já puxou a Grécia, Portugal e Irlanda para as teias da ajuda financeira.

Tanto a população como a classe política receiam pela necessidade da Espanha ser obrigado a recorrer à ajuda externa, ao mesmo tempo que entidades como a UE e os EUA pressionam o país para que implemente medidas de austeridade que previnem esse cenário (...)."
Zapatero dissolve o Parlamento e marca eleições para 20 de novembro (Sol)
Fonte: sol.sapo.pt
Enviar um comentário