Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

PS - Que Futuro? vs Novo Secretário Geral do Partido Socilaista

Partido Socialista - Que Futuro?
Seguro vs Assis
As eleições para o sucessor de José Sócrates como novo Secretário Geral do Partido Socilaista, são já no próximo dia 23 de Julho. 
Quem vai ser o próximo Secretário Geral do Partido Socialista?
António José Seguro ou Francisco Assis? 

THE BESTS, na sua linha de opinião que procura ser coerente, lúcida e independente, faz uma análise do potencial  e das possibilidades de cada um dos candidatos à sucessão de José Sócrates como Secretário Geral do PS.
É importante que o PS tenha um candidato à Liderança que corte com a anterior linha e postura do Partido.

São sempre bem vindos candidatos capazes de traçar um novo rumo para o Partido Socialista e que tragam uma nova forma de fazer política, virada para a contenção e para o rigor das contas, mas ao mesmo tempo virada para a justiça e para a responsabilidade social.

Um PS forte, inteligente, justo, bem estruturado e credível, é um Partido imprescindível para assegurar o bom funcionamento da Democracia e das instituições Nacionais, bem como para zelar e assegurar a forte vocação e sentido de missão Social que o Partido Socialista deve ter.

O Candidato opositor a António José Seguro, Francisco Assis, argumenta que A. José Seguro está mais próximo de pedro Passos Coelho. É um argumento fraco que não dá vantagem a Assis. Já António José Seguro pode argumentar utilizando muitos trunfos que tem a seu favor. Por exemplo:

a) O PS caiu porque José Sócrates esgotou o Partido. Sócrates cansou o eleitorado e passou a ser identificado com um estilo algo arrogante de fazer política. Para além do estilo  arrogante, Sócrates está envolvido em alguns processos que não foram bem acolhidos pelo eleitorado. Tudo suspeitas que carecem de maior consistência de prova, mas que no entanto desgatam. É o caso da Licenciatura, o Face Oculta, o Freeport, etc...;

b) Além do mais, muito do eleitorado PS não perdoou a Sócrates o facto de até à última hora ter afirmado que Portugal não carecia de uma ajuda do FMI e, só mais tarde, já no limite e com a pressão dos bancos, Sócrates admitiu a necessidade de uma ajuda externa e deu luz verde à entrada do FMI;

c) Somando às alíneas a) e b) o facto de o debate televisivo entre Sócrates e Passos Coelho ter sido favorável a Passos Coelho, ficou sentenciado o desenlace das últimas Eleições Legislativas. O PS afundou para uma derrota clara e humilhante! Os responsáveis são José Sócrates e os seus incondicionais seguidores, dos quais Francisco Assis é o número 1!

Por conseguinte, António José Seguro tem aqui um argumento de peso.
O PS afundou e o responsável foi José Sócrates e os seus incondicionais seguidores e defensores.
Acontece que Assis está na linha de Sócrates, ou seja, na linha e sucessor de um líder derrotado e que arrasou de certa forma com a credibilidade do Partido junto do eleitorado.

Sendo Assis o Sucessor e fiel seguidor do Responsável pelo insucesso do PS e tendo chegado até a afirmar que estaria sempre solidário com Sócrates (coisa que José Seguro e bem não fez), José Seguro tem toda a legitimidade para argumentar que o Candidato Francisco Assis constitui a continuidade de uma linha de orientação do PS que começou com Sócrates, mas que esgotou e "secou" o partido. Esgotou o PS nas soluções na credibilidade e confiança. A prova disso foi o resultado das últimas Legislativas que foi uma derrota retumbante! 
Assis é o sucessor de uma linha política associada à derrota. A Derrota atrai o insucesso e por conseguinte, deixa antever novas derrotas. Pelo contrário, a alternativa à linha de orientação que anteriormente era a fiel seguidora de Sócrates, constitui a única esperança de devolver o eleitorado ao PS. Só assim o PS reconquistará o eleitorado. Aposta num corte com a linha de Sócrates e aposta numa nova equipa. Impôe-se uma nova orientação e liderança. Aqui reside a esperança de uma renovação capaz de relançar o Partido e de o conduzir ao sucesso no futuro próximo

Para o bem das Instituições Nacionais e para o bem da Democracia Portuguesa, tem que existir um corte com o PS anterior, sendo algo apenas possível de concretizar em pleno, com a eleição de António José Seguro para o Cargo de Secretário Geral do Partido Socialista.
 
Pelo Exposto, António José Seguro tem vantagem clara sobre Francisco Assis. A vantagem de propor um novo rumo para o PS. Um rumo capaz de conduzir a um PS lúcido, coerente, inteligente, atento e justo! Um PS que se oriente em prol do serviço e do bem estar da população, um PS que defenda a justiça, a responsabilidade social e causa Nacional, ao contrário de um PS contaminado por interesses perniciosos e mesquinhos.
Um PS renovado constitui uma mais valia para a Democracia Portuguesa, porque a riqueza da Democracia, reside na diversidade de ideias e correntes de opinião inteligentes, propostas pelas diferentes correntes da vida política Portuguesa.  

Por um Portugal com futuro, pela democracia, pela justiça e pela nobreza de virtudes em prol do bem estar económico e social dos Portugueses, THE BESTS apoia António José Seguro à Liderança do Partido Socialista.
Esperamos que no dia 23 de Julho se faça história, quer  no seio do Partido Socialista, assim como na Democracia Portuguesa, com a eleição de António José Seguro ao cargo de Secretário Geral do Partido Socialista.
A honestidade, o sentido de missão em prol da Nação e a riqueza de ideias no Parlamento, saudam-se! Um PS renovado precisa-se! 
Enviar um comentário