Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Factura da electricidade vai passar a incluir informação detalhada sobre os diversos custos indexados

Custos associados à factura da electricidade vão passar a estar discriminados na respectiva factura
A factura eléctrica vai passar a incluir informação sobre os chamados custos "extra"  indexados à conta da luz.
THE BESTS saúda a chegada da factura de electricidade mais detalhada, porque a partir de agora é mais fácil perceber que apenas 31% do valor expresso na factura corresponde ao custo de produção da energia, 27% é para a rede de distribuição e 42% é para uma coisa meio indefinida que se chama "custos de interesse geral...." (que treta...).
Transcrevemos notícia publicada hoje em "economico.sapo.pt":
Segundo uma lei publicada hoje em Diário da República, no final do próximo mês, as facturas de electricidade passam a discriminar os custos de decisão política que afectam o preço final.

Com esta medida, o Executivo pretende "criar no ordenamento jurídico alguns mecanismos destinados a proteger o utente de serviços públicos essenciais".

O documento "estabelece a obrigatoriedade de discriminação nas facturas eléctricas, individualmente, de cada custo referente a medidas de política energética, de sustentabilidade ou de interesse económico geral, bem como o respectivo montante, a par dos valores de consumo, da potência contratada, da taxa de exploração e da contribuição audio-visual".

Segundo a Associação Portuguesa para a Defesa dos Consumidores, a factura da electricidade é composta por três parcelas: 31% corresponde aos custos de produção, 27% ao uso das redes de distribuição e 42% a custos de interesse geral, geralmente denominado de custo de interesse económico geral.
Esta última parcela - a maior -, corresponde a custos do fomento das energias renováveis, a rendas pagas aos municípios e à amortização do défice tarifário."
Factura da luz com custos políticos discriminados chega em Agosto (DE)
JLM
Enviar um comentário