Bem vindos

Missão

Tentar destacar os melhores (ou os piores), nas diferentes temáticas, criando um espaço de livre debate.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

COMO RECUPERAR PORTUGAL?

Embora não existam fórmulas instantâneas e milagrosas, com uma boa dose de bom senso e racionalidade, encontramos uma fórmula ou uma solução que permitirá a médio/longo prazo reverter a situação deprimente em que Portugal se encontra presentemente.
Alemanha e Japão, países derrotados e destruídos após a Segunda Guerra Mundial, em poucos anos reergueram-se e recolocaram-se no “Top” das maiores potências mundiais. Apesar das diferenças sócio culturais existentes entre Portugal e aqueles dois países, não será excessivo afirmar que, tal como aqueles países renasceram das cinzas em poucos anos, nós temos a obrigação de nos reerguermos e ultrapassar a depressão generalizada em que o país tem vindo a cair. É possível fazer muito melhor, até porque no passado e no presente, as provas de iniciativa e boas práticas são evidentes! Se os Navegadores Portugueses foram grandiosos porque descobriram o mundo, os nossos emigrantes têm sido brilhantes pela dedicação, desempenho, produtividade e reconhecimento obtido além fronteiras!
Questão: Se já demos provas da nossa grandeza no mundo, porquê agora este estado deprimente em que nos encontramos?
Solução:
a)   Em primeiro lugar, há que apelar a valores em que não existe espaço para a corrupção, nem para os interesses mesquinhos instalados e que se sobrepõem ao bem estar geral e ao interesse de todos. Deverão prevalecer valores morais, tais como, responsabilidade, ética, justiça, respeito pelo próximo, cidadania, abnegação, integridade e idoneidade, sobretudo ao nível de quem deve dar o exemplo e tem nas suas mãos a responsabilidade de decidir, de conduzir e de gerir da melhor forma todos os recursos Nacionais, ou seja, ao nível das altas esferas da política, finança e economia nacional.

b)   Em segundo lugar são necessárias regras. Para conseguir alcançar um elevado padrão de desempenho, eficiência e eficácia a todos os níveis, são necessárias regras, tais como, combate ao desperdício, empenho, dedicação, rigor, contenção e disciplina.

c)   Em terceiro lugar, temos a rentabilização máxima e optimização do uso de todos os recursos nacionais.
A receita, são todos os valores descritos em a), as regras de b) e ainda, trabalho de qualidade, alto nível de desempenho, aposta no conhecimento, na tecnologia, na qualidade e na inovação.
d)   Em quarto lugar, é necessário reorientar de algum modo a atitude e envolvimento da População Portuguesa, em prol do bem comum, do dever cívico e da causa Nacional.
Há que promover e valorizar junto da População os valores da família. É preciso informar mais e melhor, promover a cidadania, o conhecimento e a cultura. Como diria Fiplia Bragança, a televisão poderá ter aqui um papel importante se passar menos programação rasca!

Há que apostar no sentido de justiça e na cidadania, valorizar e motivar a população, promover o sentido patriótico e o bem estar geral, como forma de nos envolver-mos a todos na construção de um Portugal melhor, mais justo, mais rico e mais prospero.

José Luís Magalhães  - Comentador "THE BESTS"
Enviar um comentário